site identity

ADAPTAÇÃO DO HOTEL AO COVID-19

O Hotel Carandá Eco Ville é caracterizado por ter um formato de vila de hospedagem, o hotel é distribuído em blocos arejados com ligação direta para matas e jardins, ou seja, ao chegar e sair, o hóspede estaciona o seu carro em frente ao seu próprio apartamento, não temos ambientes fechados, nossos apartamentos são livres e arejados, nosso estacionamento é aberto e todas as nossas áreas sociais e de convívio, possuem o protocolo de distanciamento devidamente sinalizados.

 Nosso compromisso com nossos hóspedes e colaboradores nos levaram a atuar nas circunstancias atuais para impedir a disseminação do vírus, onde adequamos e reforçamos a frequência dos nossos protocolos de limpeza em todas as áreas internas e externas do hotel, inclusive temos vários pontos de higienização (display de álcool em gel) dentro da vila. Nossos funcionários estão treinados e são atualizados diariamente com as informações do Ministério da Saúde, gerando tranquilidade e segurança para nossos hóspedes.

 

 

PROTOCOLO PADRÃO PARA ADEQUAÇÃO AO COVID-19 1 - LIMPEZA DE ÁREAS COMUNS

1.1- Produtos necessários para desinfecção

  Álcool 70%;

  Álcool-gel;

 Panos ou papel toalha descartáveis

  Lenços umedecidos desinfetantes ou de álcool;

  Sabonete líquido para lavagem de mãos;

 Desinfetantes e bactericidas para limpezas gerais, seguindo as orientações da ANVISA: Hipoclorito (de sódio, de cálcio), peróxido de hidrogênio, ácido peracético, quartenários de amônia.

 1.2 – EPI’s necessários para uso dos colaboradores

 Máscara;  Luvas de látex;

 Luvas de procedimentos;

  Bota ou sapatos de uso profissional;

  Óculos.

1.3 – Áreas comuns e de lazer (academias, SPAS, brinquedotecas, salas de tv e estar, salas de massagem, administração) Colocar cerco de isolamento quando for fazer a limpeza das áreas, exemplo: quando limpar o salão de jogos, proceder ao fechamento do mesmo, enquanto durar a limpeza. As áreas comuns são as mais movimentadas do hotel e precisam de limpeza constantemente. A recepção ou hall, portaria, elevadores, corredores e as áreas de lazer necessitam de cuidados especiais das camareiras ou do pessoal dos serviços gerais. São ambientes que devem ser limpos e arrumados em horários de pouco movimento. Quando se trata de impedir a propagação de germes, é importante saber a diferença entre limpeza e desinfecção. A limpeza é o ato de remover germes, sujeira e impurezas (como quando você usa uma esponja com sabão para limpar um balcão ou um fogão visivelmente sujo). A desinfecção é quando você usa produtos químicos para matar germes (como pulverizar com uma solução de alvejante). Ao limpar primeiro e depois desinfetar, o risco de infecção pode ser diminuído. Nessa limpeza e desinfecção, além do uso corretos dos produtos é necessário a aplicação da ação mecânica de esfregar as áreas para garantir a eficácia da limpeza. Estabelecer com regra geral para essas áreas de circulação de pessoas: “Limpar e limpar novamente”, e manter o máximo de informação sobre os cuidados e procedimentos de como, a importância da lavagem das mãos, forma correta de fazêlo.

 

Corredores

 

É necessário, no momento da limpeza, deixar uma passagem livre para não atrapalhar a rotina dos hóspedes;

ü Utilizar cuidadosamente os equipamentos com cabos longos e fios para não colocar os hóspedes em risco;

ü Para evitar escorregões ou quedas, sempre sinalizar o piso molhado ou úmido.

 

Administração

 

ü A limpeza deve ser feita antes do início dos turnos da manhã ou em horários de pouco movimento;

ü Observar o uso de equipamentos com som alto, como os aspiradores de pó, para não incomodar os demais funcionários e hóspedes;

ü Observar o lugar dos objetos para não trocar nada de lugar ao limpá-los;

ü Não jogar nada no lixo sem que seja autorizado;

ü Os produtos de limpeza devem ter odores suaves para evitar o desconforto dos colegas do setor.

 

 Áreas comuns

ü Aumentar a frequência de higienização das áreas de maior circulação, como recepção, elevadores, banheiros, vestiários, refeitórios, etc;

ü A limpeza e higienização dos banheiros deve ser realizada sem aglomeração de pessoas, de preferência com a placa de sinalização bloqueando a porta para evitar contato com outras pessoas;

ü Devem ser disponibilizados dispenser com álcool 70% dentro e fora de todos os banheiros sociais ou de serviço, vestiários e refeitórios;

ü Deve ser disponibilizado detergente para lavagem das mãos em todas as pias do empreendimento;

ü Devem ser disponibilizados dispenser com álcool 70% na recepção, próximo a elevadores de serviço ou sociais, salas de eventos, etc;

 ü Devem ser disponibilizados dispenser de álcool 70% e panos multiuso descartáveis, para todas as salas administrativas para que após o contato ou utilização de qualquer equipamento (mesa, cofre, botões de impressora, telefone, o próprio colaborador já realize a higienização; ü Deve ser respeitado o processo de limpeza e higienização: de cima para baixo (teto ao chão), de fora para dentro (da sacada ou do fundo do ambiente para fora).

 ü Reforçar a limpeza e higienização de todos os pontos de maior contato no banheiro: fechaduras, interruptores, puxadores, maçanetas, telefone, torneiras, registros, acionadores de descarga, alavanca de dispensar de papel higiênico, papel toalha e sabonete, assento do vaso, lixeira, fraldário, etc;

ü Sempre que for possível, a limpeza deve ser realizada com janelas e portas de sacadas abertas aumentando a ventilação do ambienta;

 ü Não reaproveitar sacos de lixo usados.

 

1.4 – Recepção

ü Aferição de temperatura via termômetro de testa – Esta ação nos permitirá verificar possíveis hóspedes contaminados com vírus. Caso os mesmos venham apresentar temperatura de = ou maior a 37.8, deverá ser encaminhado para atendimento médico;

ü Display de álcool gel na chegada para higienização das mãos + Propé sapatilhas descartáveis (para não contaminação do piso);

ü Espaçamento com demarcação de 2 metros por hóspede para o check-in e checkout;

 ü Plastificar os equipamentos com papel filme devido as reentrâncias (exemplo: máquinas de cartão de credito, etc);

ü Higienização após cada atendimento da superfície do balcão e objetos utilizados durante o procedimento;

ü Recepcionistas com viseira, mascara, macacão descartável para atendimento de hóspedes;

ü Colocação de tela de acrílico no balcão da recepção;

 ü Desinfecção do ambiente a cada 2 horas com agua sanitária, ou desinfetante habitual de uso comum, com tempo de ação ideal ao ambiente de ao menos 10 minutos agindo no mesmo, pois desinfetantes comuns e solução diluída de água sanitária ou alvejante são capazes de desativar o novo coronavírus na desinfecção de objetos e superfícies. A limpeza com sabão também é eficiente. Isso ocorre porque o vírus tem uma camada protetora de gordura que é destruída por esses produtos. Mas é importante seguir as instruções de diluição que estão no rótulo. Caso tenha dúvidas, verifique se o produto é composto por uma dessas substâncias: hipoclorito de sódio, alvejantes contendo hipoclorito (de sódio ou de cálcio), iodopovidona, peróxido de hidrogênio, ácido peracético, quaternários de amônio, como, por exemplo, cloreto de benzalcônio, compostos fenólicos e desinfetantes de uso geral com ação contra vírus. Essas substâncias estão presentes nas formulações dos produtos em diferentes concentrações e, para o uso correto, siga as orientações do rótulo, que informam a diluição adequada para que a ação desinfetante seja eficiente. Na maioria dos casos, são necessários 10 minutos de contato para inativar os microrganismos. Aguarde esse tempo após a aplicação do produto para que ele faça efeito. Ou seja, não limpe imediatamente a superfície logo após o uso do desinfetante, de modo que o vírus possa ficar em contato com a solução e ser destruído.

 

1.5 – Orientações gerais

 

 ü Garantir a ventilação natural e implementar as medidas de desinfecção do ar para as áreas de lazer;

ü Colocar cerco de isolamento quando for fazer a limpeza das áreas, exemplo: quando limpar o salão de jogos, proceder ao fechamento do mesmo, enquanto durar a limpeza.

 ü Recomenda-se fechar as áreas sem ventilação natural ou ar fresco;

ü Piscina: monitoramento aprimorado do nível de cloro, manutenção do nível de PH conforme recomendação e garantir a filtragem e desinfecção da água em tempo hábil, alterar se necessário o horário de funcionamento para garantia da segurança;

ü Todos os itens e equipamentos utilizados pelos hóspedes, incluindo chaves, armários, cabides, equipamentos de ginástica, etc., devem ser limpos e desinfetados com álcool 70% no mínimo, uma vez a cada meio dia;

ü Brinquedos, macas e cadeiras de massagem devem ser limpos e desinfetados com álcool 70% antes e após cada utilização;

ü Disponibilizar álcool em gel em frasco dosador para higienização de mãos colocado em local de fácil acesso aos hóspedes e clientes;

ü Disponibilizar toalhas de papel e desinfetantes acessíveis ao hóspede: fornecimento de estações de limpeza nas entradas principais e principais áreas de tráfego intenso;

 ü Remover temporariamente dessas áreas revistas e jornais;

ü Ajustar a frequência de limpeza/desinfecção, por exemplo, a cada hora, de maçanetas de porta, metais, superfícies e balcões de atendimento, vestiários de hóspedes, chuveiros e banheiros;

 ü Desinfetar regularmente com álcool 70% equipamentos de uso contínuo, como por exemplo teclados, telas e monitores de computadores, bancadas de trabalho, telefones, canetas, etc.

2- GOVERNANÇA 2.1 –

Produtos de limpeza

 ü Diluir apenas o produto que será utilizado no dia, respeitando o prazo de ação de 24h;

ü Disponibilizar na cesta de produtos da equipe Álcool 70% (orientar sobre os riscos de incêndio) e detergente para lavagem das mãos;

ü Respeitar o prazo de 10 minutos de ação do produto bactericida no banheiro;

ü Utilizar os produtos de limpeza autorizados pela Anvisa, conforme SEI/ANVISA;

*O Hotel que optar pelo Hipoclorito deve instruir a equipe em relação aos cuidados com os uniformes e carpetes dos quartos, corredores e salas de eventos.

 

2.2 – Materiais de limpeza

ü Utilizar esponjas de cores diferentes, conforme procedimento de limpeza para banheiro e louças. Sugere-se que cada uma tenha seu dispenser para armazenamento;

ü Panos de limpeza para superfícies: sugere-se a utilização de panos multiuso descartáveis, evitando o risco de contaminação. Não havendo condições utilizar panos de cores diferentes ou embainhado com overloque em cores diferentes em boa quantidade para não haver contaminação cruzada;

ü Pano de chão: sugere-se a utilização de MOP ou rodo PVA, além de evitar a contaminação do colaborador existe um ganho em produtividade, qualidade e redução dos custos em até 30%.

 

2.3 – EPI’s

 

ü Os capotes devem ser de material sintético, de preferência descartáveis e substituídos entre os horários de intervalo do colaborador, é proibido que ele frequente refeitório com este equipamento;

 ü Os óculos e protetores faciais devem ser lavados com água e sabão entre os horários de intervalo;

ü Higienizar as luvas a cada arrumação com álcool;

ü Higienizar os epi´s com álcool e solução diluída de hipoclorito ao fim de cada turno;

 ü Ao retirar as luvas para manusear os enxovais e materiais de reposição das UH’s as mãos devem ser lavadas, conforme procedimento “Higienização das mãos”;

 ü Deve ser respeitado o tempo de utilização de cada tipo de máscara.

 

Retirada de lixo, enxoval sujo e arrumação:

 

ü Luva Nitrílica ou Neoprene cano longo Capote com punho;

ü Máscara;

ü Proteção facial ;

ü Bota;

ü Sapatilha Pro pé;

 ü Limpeza geral (sem contato com lixo e enxoval);

ü Luva Nitrílica ou Neoprene (cores diferentes para o banheiro e quarto) Máscara;

 ü Avental (opcional) Bota ou sapato Proteção ocular.

ü Enxoval usado, deverá guardado em sacos plásticos, e só assim enviar para a lavanderia;

ü Evitar contato do enxoval usado direto com a pele;

 

2.4 - Carrinho

 

ü Manter a limpeza, organização e higiene;

ü Não permitir que sejam colocados enxovais ou panos sujos por cima do carrinho evitando o contato com os materiais de limpeza, enxovais limpos e amenidades;

ü A arrumação dos carrinhos deve ser realizada de forma tal a evitar contaminação cruzada, tem recipientes únicos para a guarda das luvas;

 ü Sugere-se substituir o saco de lona por tecido sintético e higienizá-lo com álcool ou hipoclorito ao final da operação. Não havendo possibilidade da substituição sugere-se forrar o carrinho com saco de lixo reforçado e substituí-lo diariamente ou sempre que necessário.

 

2.5- Colaboradores

 

ü Cabelos devem ser mantidos presos ou com toca;

ü Unhas curtas e limpas;

ü As mãos devem ser lavadas corretamente, conforme procedimento “Higienização das mãos; ü Não utilizar nenhum tipo de acessório;

 ü A máscara deve ser disponibilizada para todos os colaboradores;

ü Os uniformes utilizados devem ser trocados diariamente por uniformes limpos.

 

2.6 – Processo de limpeza das UH’s

 

ü Retirada dos itens de enxoval decorativo que tenham contato próximo do corpo: peseira, almofada, chales, tapetes e etc.;

ü Redução da quantidade de papelaria, deixando somente o necessário com as informações do hotel e cardápio de minibar. O hotel que tiver condições pode colocar as informações em um canal da TV ou dispor o cardápio de minibar em acrílico para facilitar a higienização;

 ü Sugere-se a retirada de todos os itens do minibar, caso contrário, estes devem ser higienizados individualmente no processo de limpeza e higienização;

ü Não fazer reaproveitamento de papel higiênico para hóspedes ou colaboradores. Havendo possibilidade fazer a substituição do papel higiênico de rolo por interfolhado, além da proteção o custo pode ser reduzido em até 20%;

ü Não fazer reaproveitamento de amenities usados. Havendo possibilidade fazer a substituição dos amenities individuais por dispensers, além da proteção o custo pode ser reduzido em até 15% e ainda na auxilia nos projetos de sustentabilidade da empresa;

ü Não fazer reaproveitamento de enxoval na saída, mesmo que os enxovais não tenham sido utilizados. Reforçar com a recepção para evitar check-in individual em UH’s Twins ou Triplos;

ü Sugere-se a substituição dos copos e xícaras por material descartáveis (de acordo com o projeto de sustentabilidade de cada empreendimento);

ü Ao Hotel que disponibiliza mexedor descartável nas UH’s sugere-se que opte pelo embalado individualmente;

ü Reforçar a limpeza e higienização em todos os pontos de maior contato no quarto: fechaduras, interruptores, pega ladrão, puxadores, maçanetas, controle de Ar condicionado e TV, puxadores de cortina, cabeceira, bancada, criado mudo, cadeiras, poltronas, telefone, frigobar e etc;

 ü Reforçar a limpeza e higienização de todos os pontos de maior contato no banheiro: fechaduras, interruptores, puxadores, maçanetas, telefone, torneiras, registros, acionadores de descarga, alavanca do dispenser de papel higiênico, assento do vaso, lixeira etc.;

ü Nos banheiros adaptados utilizar cortinas descartáveis e reforçar a higienização dos banquinhos de banho;

ü Deve ser respeitado o processo de limpeza e higienização: de cima para baixo (teto ao chão), de fora para dentro (da sacada ou fundo do quarto para porta);

ü Sempre que for possível a limpeza deve ser realizada com janelas e portas de sacadas abertas aumentando a ventilação do ambiente;

ü Não reaproveitar sacos de lixo usados. Os sacos com lixo devem ser amarrados de forma que o lixo não fique exposto;

 

Arrumação

 

ü Arrumações de permanência após a segunda noite da estadia;

ü Elaborar um informativo e oferecer ao hóspede no momento do check-in o mesmo procedimento de Apart Hotel, arrumação em dias alternados ou para mensalistas duas vezes na semana;

ü Nas arrumações programadas não fazer com o hóspede dentro da UH e utilizar o EPI completo;

 ü Sugere-se escalar uma ou mais pessoas da equipe (conforme tamanho do empreendimento) para fazer arrumação, evitando o consumo de EPI em demasia;

ü Caso seja solicitado a troca de algum item do enxoval quando do apartamento ocupado, receber do hóspede em saco plástico, e o mesmo serve para a entrega;

ü Em casos de suspeita ou confirmação de Covid-19 o ideal é NÃO FAZER ARRUMAÇÃO, caso seja necessário o colaborador deve estar protegido com todos os EPIS.

 

Saídas

 

Trocar os lençóis, fronhas, protetores de travesseiros e colchões, papel higiênico, cobre leito, tapetes, toalhas de rosto e banho.

Sugere-se que os hotéis trabalhem com uma ocupação de 50% revezando andares ou blocos e deixando as UH’s em checkout fechadas por 72h (ainda não foi comprovada a eficácia deste prazo).

 

Observações quanto as saídas:

 

 ü O enxoval pode ser danificado por mofo devido a umidade;

ü O custo com energia elétrica e água pode aumentar se o hóspede deixar equipamentos ligados ou torneiras e duchas pingando. Hotéis que optem por manter a ocupação normal

 ü Sugere-se escalar uma ou mais pessoas da equipe (conforme o tamanho do empreendimento), equipada com todos os EPIs para retirada do enxoval e do lixo, antes da entrada da arrumadeira ou arrumador;

ü Sugere-se que seja dividido a equipe e duas vertentes: limpeza/higienização e finalização (reposição dos enxovais limpos, amenidades e etc);

ü Em casos de suspeita ou confirmação de Covid-19 respeitar o prazo de 72 horas para executar a limpeza.

 

 2.7 – Rouparia

 

ü O colaborador que faz a separação das roupas de hóspedes deve utilizar o EPI completo;

ü Os hotéis que ainda fazem a contagem manual dos enxovais sujos, sugere-se que o processo seja substituído pela pesagem (lembrando que o enxoval molhado pode dar uma diferença de até 20% no peso). Caso não seja possível o próprio colaborador responsável pela coleta pode anotar as quantidades retiradas das UHS. O enxoval sujo retirado deve ser lacrado em hamper e levado diretamente para o local de coleta;

 ü As roupas limpas de hóspedes e uniformes entregues pela lavanderia devem estar embaladas, evitando contato corporal;

ü Os enxovais extras levados as UHS por solicitação do hóspede devem estar embalados individualmente, evitando contato corporal;

ü Os carrinhos para transporte de enxoval devem ser preferencialmente de fibra, higienizados diariamente com álcool 70% ou hipoclorito;

ü Os carrinhos que forem de lona devem ser protegidos por sacos de material sintético ou saco de lixo reforçado substituído diariamente;

ü Deve haver um dispenser próprio para descarte dos panos de limpeza sujos em área isolada. O ideal é que o processo de lavagem destes seja profissional evitando a contaminação.

 

2.8 – Segurança

 

ü Manter termômetro de aproximação a disposição dos hóspedes e colaboradores, no caso de qualquer sintoma suspeito encaminhar a pessoa para emergência;

ü Manter as fichas de EPI atualizadas. Sugere-se recolher o EPI velho para entrega do novo evitando desperdício e tendo maior controle;

ü Manter as fichas técnicas dos produtos de limpeza autorizados pela Anvisa atualizadas;

 ü Ao aplicar os treinamentos colher assinatura de todos na lista de presença, registrar em ATA e manter a documentação no RH;

ü Cada empreendimento deve fazer um mapa das áreas de maior criticidade (onde há maior circulação ou concentração de pessoas), exemplo: UH’s, recepção, banheiros etc.;

ü Manter visível nas copas, áreas de serviço, vestiários, refeitório os procedimentos para colocação e retirada de EPI, higienização das mãos e descrição dos locais que de maior contato que devem ser higienizados rigorosamente;

 ü Aplicar advertência em todos os colaboradores que não seguirem as regras de utilização dos EPIS, respeitando a CLT;

ü Evitar fazer os briefing em locais fechados ou com aglomeração de pessoas. O ideal é que sejam feitos em áreas externas ou salas de eventos respeitando a regra da distância de 1,5 m. Isso serve para refeitório dos colaboradores e salas de descanso o ideal é que seja feita uma escala aumentando os horários de refeição ou utilização respeitando as regras de distância;

ü Orientar que todos os colabores que utilizem rádio, Bip ou celular da empresa realize a higienização deles na troca de turno;

ü Orientar que os colaboradores da recepção higienizem as máquinas de cartão de crédito, telefone e teclado após utilização e as mãos sempre que manusear dinheiro;

 ü Orientar que os mensageiros higienizem as mãos após manuseio de bagagens;

ü Orientar que os colaboradores da manutenção utilizem as mesmas regras da equipe de governança para entrada nas UHS;

ü Sugere-se que seja colocado uma caixa de acrílico no balcão da recepção que o hóspede coloque as chaves no momento do check-out e elas sejam higienizadas individualmente;

 ü A área de recepção deve ser demarcada com as regras de distanciamento, tanto no piso, quanto nos sofás e poltronas;

ü A regra da Anvisa é que não seja feita a separação do lixo reciclado em caso de suspeita de contaminação, como nesse momento é difícil identificar quem está contaminado a sugestão é que não haja separação do lixo. O lixo das UHS com suspeita ou confirmação de COVID-19 devem ser separados e descartados separadamente como lixo hospitalar.

 

Treinamentos

 

 ü Devem ser aplicados para 100% dos colaboradores, desta forma todos auxiliaram nos cuidados e na segurança dos hóspedes e colegas de trabalho;

 ü Os treinamentos devem ser imediatos para colaboradores que estejam atuando e com antecedência para os hotéis que estiverem com as operações suspensas, respeitando as regras de aglomerações e distanciamento, devem ser repetidos quantas vezes a empresa julgar necessário nesse momento de pandemia ou seguir a regra semestral de reciclagem. Lembrando que todo novo colaborador deve passar pelo treinamento antes de iniciar o trabalho;

ü Os procedimentos devem ser reforçados diariamente pelos líderes e se possível registrados em ATA.

 

3 – INFORMATIVOS

 

3.1 – Informativo a ser apresentado nos apartamentos

ü As arrumações de permanência serão realizadas apenas após a segunda noite de estadia, exceto mediante necessidades pontuais, e estas, podem ser solicitadas através do ramal da recepção;

 ü Casa ocorra a necessidade de troca de algum item do enxoval do apartamento, esta deverá ser solicitada através do ramal da recepção. O seu apartamento está equipado com sacos plásticos para que os itens que precisem ser trocados sejam depositados;

 ü Ressaltamos que a cada troca de reserva, todos os itens de enxoval dos apartamentos serão trocados;

ü A reposição dos itens do frigobar será realizada mediante solicitação, através do ramal da recepção;

ü Toda a nossa área comum passa por um processo de higienização a cada duas horas;

 ü Check-out realizado no balcão por apenas um membro ocupante do apartamento.

 

 3.2 – Ações a serem feitas no setor de reservas

ü Esforço para conseguir o pagamento integral no ato da reserva;

ü Reforçar a realização do check-in online, ou, no caso de impossibilidade, o envio dos dados para preenchimento antecipado da FNRH (Nome completo, email, CPF, data de nascimento, Endereço, telefone), salvar no anexo da reserva;

 ü Solicitar o envio da imagem do documento dos CHD’s, salvar no anexo da reserva;

ü Informar que arrumações de permanência só ocorrerão após a segunda noite da estadia, porém, solicitações eventuais, deverão ser solicitadas a recepção;

ü Solicitar que o check-in no balcão deverá ser realizado apenas por um membro dos ocupantes do apartamento, e este deverá ester de posse dos documentos dos demais, e este deverá respeitar a sinalização do local aonde aguardar, em caso de fila;

ü Solicitar que o check-out, deverá ser realizado, prioritariamente, por apenas um membro dos ocupantes do apartamento.

 

3.3 - Protocolo para mensageiros e recepcionistas

 

 ü Recomenda-se a utilização de máscara e luvas;

ü Recomenda-se o uso de caneta exclusiva por recepcionista;

ü Canetas utilizadas por hóspede deverão ser individuais, e estes guardadas para que ao término do turno, sejam higienizadas com álcool;

ü Chaves deverão ser higienizadas com álcool ao término do uso;

 ü Evitar contato físico, como aperto de mãos;

ü Evitar contato com itens dos hóspedes, como cartões e documentos. Caso necessário fazer o menor número de vezes possível. Dê preferência a um único pagamento por estadia, e verificar se cópias de documentos já foram anexadas as reservas;

ü Solicitar que os hóspedes respeitem as marcações de localização;

ü Mensageiro: Solicitar que apenas um ocupante da reserva se dirija ao balcão, no ato do check-in e check-out;

 ü Evitar grandes aglomerações de pessoas, em caso de muitos check-in’s simultâneos, solicitar que aguarde no próprio veículo;

ü Mensageiro: realizar a higienização das alças das malas, e maçanetas das portas, quando do acompanhamento ao apartamento.

4 – A&B – CAFÉ DA MANHÀ / ALMOÇO / JANTAR

 

ü Redução do horário de funcionamento, ficando restritas das 06h as 22h, de segunda-feira a segunda-feira, para estabelecimentos onde a atividade preponderante constante em seu Cadastro Nacional de Pessoal Jurídica (CNPJ) seja essa Atividade;

 ü Restrição no atendimento, mesas em 50% de sua capacidade de atendimento, respeitando o espaçamento mínimo de 1,5 metros entre as mesas;

 ü Aumentar a distância entre as mesas no restaurante minimizando o contato entre hóspedes no ambiente de refeições;

ü O salão deve ter boas condições de ventilação e garantir o bom funcionamento das instalações de ventilação mecânica;

 ü O Estabelecimento só poderá atender e comercializar seus alimentos, porções no modelo A La Carte, ficando o sistema de Buffet, desde que, isolado por um “Organizador de filas”, (site mercadolivre.com), com função de distanciamento de 1,5 metros entre os hóspedes e o Buffet dentro da área isolada com colaboradores do estabelecimento munidos de máscaras e luvas serão responsáveis por servir o hóspede;

ü Ampliação do horário de atendimento dos serviços de Delivery e Take Away (pegar e levar) até as 22:00hs;

ü O Room Service liberado, desde que, seguindo as regulamentações da ANVISA e OMS;

 ü Sugere-se a elaboração de um cardápio, devido a previsão de aumento na demanda desta modalidade de serviço;

ü Uso obrigatório por parte de todos os colaboradores de equipamentos de proteção individual como Máscara e Luvas;

 

 ü Quanto à higienização dos colaboradores antes de entrar na cozinha, ele deverá trazer o uniforme e fazer a troca do mesmo no vestiário do hotel, para não vir da rua com o uniforme, o uso constante de EPI’s como mascara, luvas, além dos tradicionais, botas de borracha, toucas, avental e etc;

ü Disponibilizar álcool 70% ou fornecer espaço adequado para a lavagem das mãos com água e sabão para todos os Clientes e Colaboradores;

ü Reorganizar escalas de trabalho com vistas a reduzir o número de trabalhadores em setores onde ocorre acúmulo ou aproximação de pessoas, inclusive adotando sistemas de rodízio ou sistema de escala de revezamento de turnos, modulando jornadas, entradas, saídas e horárias de modo a evitar todas as maneiras o contato e aglomerações de trabalhadores;

ü Dispensar dos trabalhos colaboradores que se incluam nos grupos de risco, na forma indicada pelas autoridades de saúde;

 ü Cancelamento de reuniões internas, clientes e fornecedores;

ü Reforçar medidas de desinfecção para os utensílios de mesa e implementar o sistema de inspeção; ü Se necessário ou solicitado, talheres descartáveis podem ser fornecidos;

ü Os cardápios devem ser efetivamente desinfetados com álcool 70%;

ü Retirar todos os utensílios e limpar saleiros, pimenteiros, mesas e cadeiras com álcool 70% ou lenços umedecidos desinfetantes após a saída do hóspede;

 ü Substituir colheres e utensílios de Buffet com maior frequência;

ü Toda a equipe, e principalmente garçons e cummins devem estar atentos às seguintes situações: Higienizar as mãos após retirada de louças e utensílios usados;

ü Evitar apertos de mãos, ou higienizá-las após contato. Utilizar luvas descartáveis para realizar suas atividades,

ü Equipar todas as áreas da cozinha com produto para desinfecção das mãos, como álcool-gel; ü Reduzir e controlar rigorosamente o acesso de pessoas externas às áreas de produção e manipulação de alimentos, incluindo fornecedores.

 ü Toda e qualquer pessoa que precise entrar na cozinha deve lavar as mãos e desinfetá-las corretamente;

ü Orientar e disponibilizar material sobre o correto processo de lavagem das mãos;

ü Notificar fornecedores de que não é permitido deixar pessoas com problemas de saúde realizar entregas;

ü Tomar medidas rigorosas de desinfecção de tábuas de cortar alimentos e utensílios de cozinha;

ü Limpar e desinfetar diariamente com álcool 70% portas de equipamentos de alta utilização (fornos; geladeiras, freezers), bem como equipamentos em geral (batedeiras, liquidificadores, processadores, etc)

ü No caso do café ser a la carte também, de preferencia com hora marcada, e servido de forma individual, para aqueles hotéis/pousadas em que as mesas forem coletivas e o restaurante com pouca ventilação;

ü No caso de atender em restaurante, permitir a entrada de poucos hospedes, respeitando as normas estabelecidas aos restaurantes comerciais, e só permitindo a estrada de outros hospedes após a higienização completa feita com álcool 70% em todo o espaço (mesas, cadeiras etc.) em que o hospede anterior utilizou.

Realização de inspeções diárias pela gerência em todas as áreas de preparo e serviço de alimentos para garantir que os métodos de limpeza e higienização sejam seguidos e realizados de modo consiste.

 

 

 

 


Galeria de Fotos

site identity
Rua General Osório nº 850 CENTRO - BONITO • MS
Redes Sociais: